quinta-feira, 7 de abril de 2011

RACISMO, HOMOFOBIA E MUITA FRESCURA

beleza, virtudes não têm cor


Nunca entendi bem essa ideia de racismo e/ou homofobia que se tem instituído de uns anos para cá. Qualquer coisa é "Ah, fui agredido porque sou negro, ou porque sou gay". Não sou jurista, advogado ou coisa que o valha, portanto não estou aqui embasado na lei 7716/89 que versa a respeito do crime de racismo. Muito menos preocupado com as discussões juristas sobre o caso, que são tantas que não levam a nada. Se discussões juristas resolvessem algo, o Brasil já seria um país desenvolvido, pois todos os corruptos estariam presos, todos aqueles que burlam a democracia já estariam encarcerados e o cidadão feliz por ter seus direitos cumpridos.
No dia 13 de abril de 2005 o jogador GRAFITE, QUE TINHA COLEGAS BRANCOS NO SEU TIME TIME E QUE O AMAVAM, foi chamado de “negro de merda” por um ADVERSÁRIO ENRAIVECIDO, QUE, possivelmente, TINHA COLEGAS NEGROS AMADOS POR ELE. Há mais ou menos 12 anos, eu ministrava aula de Literatura Brasileira numa sala de aula de cursinho, que tinha aproximadamente 150 alunos, quando dei por falta de um aluno, um dos melhores, sempre participativo, e perguntei por ele. Como não sabia o nome do rapaz, diante da insistência “qual , professor?”, respondi “um negro que senta-se próximo à janela.” um Aluno argumentou “ah professor, isso é racismo”. Não dei atenção ao comentário, pois sabia que não era essa a intenção. No caso Grafite Criou-se muita polêmica em torno. Edilson, também negro mas menos abestado, para usar um termo nosso, disse: "Isso é coisa de bamby". É mais ou menos por aí. Ninguém pode olhar de cara feia para outro que ele/ela corre: "Ah, vou processar". Isso já é sacanagem. A imprensa faz o que quer, se arvora o direito de perguntar as besteiras que bem entende e quando ouve uma resposta do tipo da resposta dada por Jair Bolsonaro, quer crucificar o cara. Pô, brincadeira. Racismo ocorre no Brasil mas se manifesta de outra forma, em subemprego, miséria, falta de Educação, saúde. Homofobia se manifesta quando se destrata moralmente e fisicamente. Isso deve ser combatido. Além do mais, em documento elaborado pelo Ministério do Trabalho racismo é definido como “a ideologia que postula a existência de hierarquia entre grupos humanos, que no caso em tela pode ser traduzida na pretensão da existência de uma certa hierarquia entre negros e brancos. Segundo Ferreira [2], o racismo é a doutrina que sustenta a superioridade de certas raças, podendo representar ainda o preconceito ou discriminação em relação à indivíduos considerados de outras raças.” (http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/1991/Discriminacao-social-racial-e-de-genero-no-Brasil ) A meu ver pouquíssimos caso no Brasil se enquadram nessa categoria. O caso mais grave de racismo no Brasil com certeza é perpetrado pelo poder público que não não cria escolas de qualidade para a população mais pobre, que é (coincidência?) de pele mais escura.
Isso é deturpação de valores

Não podemos fomentar o crescimento do país com questões mínimas. Precisamos sim fazer com quem as pessoas se amem, respeitem-se, mas não se pode querer isso enquanto valores como o Amor, a Dignidade, a Solidariedade, a Compaixão são jogados no lixo pela Rede Globo e por propagandistas de cervejarias, cujos dogmas são agora “um por todos e todos por uma”, ou pela GVT, que coloca bem claro, que só é gente quem usa seus serviços. Ficam então um monte de besta falando em racismo, homofobia só porque é moda. Deixemos, pois de frescura!   

Nenhum comentário:

AI QUE SAUDADES DAS CHUVAS!

Por que nunca chove mais? Todos queremos saber Se sem a bendita chuva Não se pode aqui viver! O asfalto tremeluzindo, Dá pena as...